Uma “Escapadinha”

O Verão para nós esta normalmente bastante preenchido com trabalho, por isso geralmente não pensávamos muito em férias até Setembro, mas fazer uma época de trabalho tão longa tem geralmente o lado negativo de chegarmos a um ponto em que estamos simpesmente esgotados.

Em anos recentes tenho me sentido bastante inspirada por alguns amigos nossos, estrangeiros residentes em Portugal. Sentia através deles o interesse por conhecer Portugal e sobretudo aprendi que para se sentir o gosto a férias não era preciso ter uma semana inteira disponível. Muitas vezes tudo o que era necessário era tirar uma sexta-feira, e planear um fim de semana com alguma criatividade  para a família. E foi assim que à alguns anos atrás começamos à planear as nossas pequenas “escapadinhas”.

Esta nossa última pequena aventura passou-se em Góis, uma belíssima região situada no meio das montanhas, a convite de um amigo de família. Foi fantástico ter experimentado um pouco da vida do campo e sobretudo passar essa experiência de aprendizagem aos nossos pequenos. Aprender sobre as várias árvores de fruto, os animais do campo, e a experiência de trocar o mar pelas excelentes praias fluviais na região vale realmente a pena sobretudo para quem está habituado a uma vida citadina. Tivemos também a oportunidade de visitar as chamadas aldeias de xisto da região, pequenas aldeias tradicionais Portuguesas perfeitamente preservadas nas montanhas altas, uma experiência única!

Algumas pequenas lições que aprendemos com as “escapadinhas”

– Planeia uma distancia de viagem curta: Numa “escapadinha” de 3 dias não vale a pena perder tempo precioso em viagem, senão o fim de semana fica mesmo curto!
– Não planeies nem actividades a mais nem a menos: Porque arriscas-te a fazer demais e deixar todos “stressados” ou a menos e deixar todos entediados…
– Vai contra a corrente: Escolher sítios não tão procurados no Verão, como uma estadia no campo ao invés da praia produz férias económicas e super relaxantes.
– “Ir para fora cá dentro” ajuda a economia e incentiva o turismo, sobretudo em zonas menos conhecidas de Portugal: Quando vistamos as aldeias de xisto não vimos ninguém a não ser dois jovens a trabalhar numa pequena loja da junta de turismo. A ideia de estes marcos históricos desaparecerem por falta de interesse é algo triste.
– Portugal é um país pequeno mas de uma riqueza cultural e gastronómica incrível! Experimentar a comida local, a história destas regiões é algo que não se aprende em livros.

O lado menos positivo….

– Despesas de combustível e Portagens – Os custos de portagens hoje em dia são substanciais, e se antes ainda havia estradas não pagas agora paga-se em todo o lado.
– Mais “escapadinhas”, mais despesas de viagem: Ao contrário de uma única viagem de férias mais longa…

Agradecimentos:

Freguesia de Góis

Aldeias de Xisto

|||